segunda-feira, 30 de maio de 2005

Carta aberta a ti Mãe

Hoje completas mais um ano de vida. Estás de parabéns como é costume dizer. Mas sinto que quem está de parabéns sou eu e todos aqueles que têm a sorte de te ter ao lado. De parabéns está o mundo que é um lugar melhor apenas porque tu existes.
Agradeço tanto aos avós por terem concebido o bebé que foste e educado a mulher que és! Porque bem ou mal a educação deles fez florescer em ti uma pessoa maravilha mamã!
Uma mulher linda, inteligente, com um sentido de humor fantástico (e um tanto sarcástico), leal, Amiga… e acima de tudo isto uma Mãe com M(maiúsculo).
Perfeita?!
Não és; és humana e como humana que és tens os teus defeitos, as tuas características… Mas és perfeita enquanto mãe, que sempre me soube ensinar que nada é perfeito mas que dos erros (dos nossos e dos outros) podemos aprender coisas. Sempre me disseste que respeitasse os outros mas acima de tudo que me respeitasse a mim mesma. Ensinaste-me a amar e a saber se amada; Despertaste em mim a curiosidade e a imaginação, alimentaste a minha mente com livros e poetas, fizeste de mim um ser optimista e feliz. Sou o que sou por te ter como molde.
Dizem que as mãe são únicas e acredito que para cada um a sua mãe seja a mais especial, mas acredita que o digo do fundo do coração e com sinceridade que sempre me incutiste: Tenho o maior dos orgulhos em ser tua filha;
Adoro a cumplicidade de amigas que temos uma com a outra:
Fico fascinada com a telepatia que nos une e se manifesta “n” vezes quando por exemplo penso em ti e ao pegar no telemóvel para te ligar, estás tu a ligar para mim;
Amo o facto de seres a minha mãe e te amar só por isso, mas ao mesmo tempo ter a sorte de seres a minha melhor amiga; aquela a quem posso contar tudo e que está sempre lá, para me apoiar e chamar à razão.
Releio o que escrevi e sou obrigada a acrescentar uma coisinha… he he he fizeste de mim um ser um tanto ou quanto egocêntrico… esta carta era para ser sobre ti e acaba por ser sobre mim… sobre o efeito e peso que tens na minha vida… 
Mãezinha desejo-te as melhores felicidades do mundo! Que este dia seja repleto de alegrias e tenhamos a alegria de o festejar por muitos e longos anos.
Viva o dia 30 de Maio!
Muitos parabéns mãezinha!
Da tua filha que te ama muito

quinta-feira, 19 de maio de 2005

Parabéns Afilhadinho!

O MEU AFILHADINHO RAFAEL FAZ HOJE 5 ANOS!!
Tenho muita pena de não poder estar com ele, mas mais pena tenho ainda de não conseguir falar com ele...
Queria dizer-lhe que o amo muito, e que tenho muitas saudades do riso lindo que ele tem; que me apetecia terrivelmente ver aqueles olhinhos lindos que riem quandio falam, e ouvie aquela vozinha linda com um "very british accent" :-(
Tenho saudadinhas tuas Rafael... E da tua mamã também. Mas não tenho o nr novo dela e já tentei deixar-lhe recadinho em todos os "sitios da net" onde acho que ela pode ir... Também tentei falar com o teu avô... que ficou de me dar o vosso contacto actual... :( mas já foi há quase um mês e até ver nada...
Enfim... longe de mim mas no meu coração
MUITOS PARABÉNS SOBRINHO LINDO!!

quinta-feira, 12 de maio de 2005

Um prédio só para mim!

Quando for grande vou comprar uma grande casa! Uma casa com jardim! Não! Pensei melhor e quando crescer, quero um prédio só para mim!
O Pedro já tem um! Não está um espanto? Tal como ele me disse - mana ainda falta pintar as paredes! , mas convenhamos que o "construtor" sabe da coisa!
;-) É mais uma das obras do Bruno para o nosso maninho! Curtam os pormenores das varandas, da abertura lateral para poder brincar com os bonecos e... estilo dos estilos, a caixa que o Pedro segura numa das imagens, é um elevador!!! do lado virado para os "apartamentos" o elevador é aberto para os bonecos, perdão "inquilinos" entrarem e sairem!
Boa mano!

Purga de Alma

Existe uma expressão popular que diz: "Estou tão feliz que podia morrer agora"; eu atrevo-me a reescrevê-la para " Sou tão feliz que era um sacrilégio morrer agora".
Tenho uns pais impecáveis, a minha mãe então... Não é deste mundo! Tenho um irmão mais novo que eu 5 anos, com que tive a sorte de partilhar a minha infância e adolescencia; E para ajudar, vivo desde hà 3 anos uma das fases felizes da minha vida... primeiro o nascimento do meu irmãozinho mais novo... Uma prenda inesperada quando eu tinha já 24 anos... Depois, há ano e meio o meu casamento de sonho, com a minha cara metade, o meu namorado desde a altura de liceu. E agora hà 5 meses o nascimento do nosso Alexandre veio colocar "a cerejinha em cima do bolo"
:-) Este post é só mesmo para dizer que sou muito mas muito feliz!!!!

quarta-feira, 4 de maio de 2005

Castelos de Papel

Curtam só o estilo deste Castelinho!
Qual de nós não brincou já às casinhas e aos castelos? Em alguma fase da nossa meninice já todos o fizémos, mas poucos tiveram a sorte de ter castelos destes para dar largas à imaginação!
Digam lá que o meu maninho Pedro não tem sorte? Não sou eu a autora da obra mas sim o nosso outro mano o Bruno.
;-) É nestas alturas (e só nestas) que tenho pena de ser a mais velha! Eu não tive um mano a participar nas minhas fantasias!!!
Mas fico muito feliz que o nosso "benjamim" tenha essa sorte!
É que o nosso mano Bruno faz magia com uns pedaços de cartão e fita-cola!!!!
Como devem calcular o Pedro tem uma paixão doida pelo "mano grande"
Adoro-vos maninhos!
BR, continua com essa imaginação!

Um cházinho para os amigos?

Não há problema! Vou ao armário que o meu mano fez buscar as chavenas, fervo a água no meu fogão, tiro o leite do frigorifico e no fim lavo tudo no meu belo lava loiças!!!
Bruno, como eu tinha gostado de te ter como mano mais velho quando era menina!!
Está demais esta cozinha! Concordam todos?
Beijocas

Meu filho mais amado!!!

Quando estás assim a dormir, como agora, fico a olhar-te e às vezes assusto-me com a magnitude do que sinto por ti bebé!
É tão forte este sentimento! Tão abrangente que nasce no coração com um aperto, sobe embargado pelo peito e a sensação que tenho é que explode em milhões de estrelas pelos meus olhos fixos em ti.
Amo-te tanto filhinho!
Sou assaltada por mil dúvidas, mil receios.... Não saber ensinar-te bem, não conseguir fazer-te saber o quão desejado foste antes de nascer... antes de seres sequer feito; o quão saboreada e sentida foi a minha gravidez... cada hora, cada dia, cada passo... sempre a pensar em ti em como serias, se estava tudo bem contigo, se te estava a passar os nutrientes todos... e depois... Nasceste! És! E por muito que respeite as pessoas que pelas mais variadíssimas razões sofrem de depressão pós parto, meu filho, eu sofro desde que nasceste e ao longo destes abeçoados 5 meses de "Euforia pós parto"...
Não posso prometer-te ser uma mãe perfeita, mas prometo-te meu amor que serei uma mãe de amor e que todos os meus actos para contigo serão actos guiados pelo amor...
É maravilhoso ter-te meu bebé amado, meu filho adorado!