sábado, 26 de setembro de 2015

Os padrinhos - que se espera nos dias de hoje?

Quem me conhece sabe que não sou propriamente de cariz religioso. Mas acredito no Bem e especialmente acredito nas Pessoas.
Para mim a escolha dos padrinhos dos meus filhos, não foi uma coisa leviana. Mais do que a acensão tradicional da palavra, associada à educação na fé, para mim a palavra padrinho ou madrinha acarreta muito mais do que isso. Escolhemos, o papá e eu, pessoas que amamos e nos são especiais, e confiamos neles a honra de nos acompanharem na criação dos nossos mais preciosos. Uma madrinha/padrinho não serve para dar prendas caras e comprar uma roupa na Páscoa ( aqui o A dir-me-ia: Oh mãe! Também serve para isso sim!! Que a minha madrinha estraga-me com mimos), para mim a madrinha tem um papel ativo, um papel moral, de ralhar qd sabe que o afilhado esteve menos bem,
De congratular as suas vitórias, de ajudar a formar o caráter do afilhado. 
Tenho três filhos. Para cada um deles o padrinho e a madrinha foram escolhas conscientes e de amor. 
Não conto com os pais-coadjuvantes que escolhi para levarem os meninos à missa e oferecerem terços, mas espero deles o apoio moral e ético.. Certo e errado, bons  valores e boas ações . 
Será errado está maneira de pensar? Como vêem a ideia de padrinho? Associada à religião? Não consideram sequer a ideia? Gostava de saber as vossas visões sobre o tema...

1 comentário: