terça-feira, 23 de agosto de 2016

Livro- O voo da libélula

Acabado de ler. Para já deixo a primeira impressão: Brutal!!
A resenha mais completa segue nos próximos dias 

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Leituras de Férias

Esta semana tem sido fantastica! Em 3 dias consegui ler 2 livros. Considerando que há meses que não conseguia focar em nada que não fosse trabalho ou mestrado, estou contente!
Fugindo ao registo habitual de literatura fantástica, peguei em estilos mais thriller/suspense.
Para já, li estes dois.
Amanhã pego noutro-qual será?- e quando tiver um bocadinho venho deixar-vos as minhas opiniões sobre o que li!



segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Em busca do copo perdido

Quase duas horas à procura de um copo infantil tipo cantil... A casa é grande mas não tanto... Corri todos os locais provaveis, que com dois bebés em casa abrange quase todas as áreas, sem sucesso. Fui ao carro. Tornei a correr tudo. Pensei que podiam ter posto no frigorifico a imitar o irmão, mas não... quem vê o frigorifico vê o congelador, e as máquinas, sim a de secar roupa também... nada. Torno a revistar a casa, desta vez aprofundando nas sapateiras e gavetas do irmão (sim, tudo o que é do mano é giro)... nada... Frustrada, estava quase a aceitar que não ia levar um copo que tinha comprado especialmente para que pudessem beber livremente sem se molhar quando vão no carro. Quando fui à casa de banho do irmão (claro) para ir buscar qualquer coisa e me lembrei de abrir a gaveta do secador... ali estava... entre a escova de enrolar e o babyliss.... Porque não me lembrei logo de ver ali! Era um local obvio afinal de contas está apenas a 40cm do chão...

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Do cansaço do pós férias

Depois de uma semana a descontrair quando finalmente estamos em modo turista damos conta que falta pouco para o termino das férias... A ansiedade toma conta e os ultimos dias já são de um prazer agridoce sempre com o cutelo do fim do lazer a pender sobre nós. O teenager intensifica as atividades, não quer deixar nada por fazer. Os mais novos nem sabem do que falamos. linitar-se-ão a fazer birras quando no dia X não forem à praia mas sim encaixotados na sua cadeirinha e recambiados para casa. Antes de sair rever todos os cantos. Não fica nada para trás? A. tens o carregador do telemovel? M. onde esta o ursinho donó-ó?
Na viagem de regresso entre a ladaínha-Mãe já chegámos? Hoje "num" vamos à "paia"- Essa música è um lixo!-Quando eu tinha a tua idade ouvia o que os meus pais punham e não tinha voto na materia! Tens sorte de participar na escolha da lista! 
Mentalmente vou antecipando a chegada. Os animais estarão bem? Será que os morangueiros sobreviveram sem
mim? O que è que lá tenho que dê para fazer uma sopa?
O stress do pré dá lugar ao stress do pós...
Chegados a casa há que desfazer malas, lavar roupas, estender, engomar... Tudo feito precisamos de ferias das férias... 
Descansamos no campo...
Em menor escala há que refazer as malas para a visita à terra do avô. A "farmácia" mantém-se, roupas em menor número. Nao esquecer uns agasalhos. Vale anpena os fatos banho? È melhor( rio mentalmente a adivinhar o M- Isto tudo?!Para 4 dias?)
Novamente rever as plantas, os animais, atulhar a bagageira, todos têm água? Onde estao as chuchas? Seguimos. Mae onde vamos? Vamos à "paia"? - Não amor, vamos ver os primos. - Vamos ver o Gui? - Sim, o Gui e outros primos... 
O mais velho vai macambuzio -para quê vamos tão cedo, para que tantos dias, ali nem há rede de jeito... Como Mãe de três, aumentono volume do radio, converso com o M, faço por ignorar o caos no micro-cosmos do banco de trás. È maravilhoso ter irmãos!-Oh mae o K tá a puxar-me os auriculares!!!- Eu "kéol!! Sem olhar para trás estendo o meu telmovel. o mais novo cala-se enquanto abre a aplicação de videos e vê pela enésima vez os episódios da patrulha pata. A mais nova grita porque também quer ver. - Kike mostra tambem à mana!- A Guida nao quer!!- Quer sim, olha ela a chorar.
Troco olhares cúmplices com o M... Inspira expira... um dia vou ter saudades deste caos.


Do cansaço das pré-fèrias

As férias são sempre agridoces por muito boas que sejam. Andam-se semanas o olhar o calendário, a contar dias, a antever o prazer de uns dias fora... Que bom que vai ser, só descanso, brincar com os miudos, namorar, ler... Aproxima-se a data e começam as listas: primeiro mentais, depois em notas no telemóvel ou em agendas: a levar; não esquecer;  a tratar antes de ir; verificar antes de sair de casa.
Este è um processo desgastante. Vamos de fèrias mas não queremos que falte nada do que possamos precisar: não esquecer de levar a loção repelente de mosquitos; já pus na lista os livros de saude dos miudos?
A três dias começamos com a gestão física da coisa: preciso comprar algo? As roupas que vão estão todas limpas?-Claro que não, numa casa com três filhos há sempre roupa para lavar. Abre-se a lavandaria e o estendal da aldeia. Brancos imaculados, cores brilhantes, gangas, pretos. Tudo lavado, tudo a jeito para ser requisitado...tudo a jeito, depois de engomado... enquanto se engoma revê-se a lista... com 2 bebés em casa e um adolescente a  farmácia também vai: analgésicos, anti-piréticos, gel de arnica,penso em spray...De repente lembro-me das brincadeiras... Tá de organizar um saco, 2 baldes de praia uns quantos acessorios, mais as braçadeiras, è melhor também o colete insuflável,  a bóia para ela, se os mais novos podem então o mais velho também leva o colchão. Suspiro olhando a pilha de coisas, até ver virtual, que vamos levar. Antevejo já a conversa do M ao carregar as coisas para a carrinha. - Onde è que queres que ponha isto tudo 'mor? A carrinha não estica! Isto tem mesmo que ir? Oh Sónia, pá assim não dá.
Antevejo-me a tentar não refilar: se achas que è muito para a próxima faz tu as listas e organiza as cosias!
È já um ritual... Faz parte dos nossos papeis. Ele stressa até ver tudo contido na bagageira, eu stresso de o ver stressar.
No fim se contas tudo está em ordem, arrumado, e prontos para seguir- coloquei na lista água fresca para a viagem? È melhor confirmar. 
Verifica-se pela enésima vez se as plantas estão regadas, a tartaruga alimentada, o piriquito tem água suficiente, o peixe já comeu? As janelas estão fechadas... Depois de mais uma ronda saímos finalmente com apenas uma ou duas horas de atraso ao que tínhamos planeado... Passa tudo... O stress dos preparativos, o stress das malas, viva os passeios em família...
Os mais novos não sabem ao que vão. É normal passear e não percebem se vamos longe ou perto.
 - Mae já chegamos!? -Nao Kike, ainda demora. -Mae vamos a "paia"? - Sim filhote vamos... e à piscina também...
- Mae ja chegamos?! -Ui....
Chora um porque quer chucha, chora outro porque quer o telemóvel do irmão, refila o irmão porque a música que está a dar é "um lixo". Refila o pai porque aquilo não são modos de falar.
Sorrio. Adoro este caos. Adoro estar assim, com todos eles juntos. 

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Leituras - "A incrível viagem do faquir que ficou fechado num armário Ikea" de Romain Puértolas

Há já alguns meses que não pegava num livro por prazer. Entre trabalho, fraldas e mestrado tem sido um luxo dificil o ler algo que não tenha que ver com trabalho ou estudo. 
Entre os muitos que tenho em queue ( e espero ler nas próximas semanas), um dos que me deixou a pulga atrás da orelha foi precisamente este...  Convenhamos que um livro com um título destes não deixa ninguém indiferente. Pelo menos a mim chamou a atenção e aguçou a curiosidade...Um faquir, um armário -Ikea, não um armário qualquer - e uma viagem incrivel. 
Em suma achei que seria uma leitura light para desenferrujar o leitor em mim e foi com esse volume que sábado me sentei no sofá.
O livro está escrito de um modo muito leve, muito fluído, em tom de brincadeira quase. De um ponto de partida tão simples (e descabida) como um faquir indiano ir a um ikea em França para comprar uma cama de pregos saltam desenvolvimentos e aventuras cada uma mais tonta que a outra (embora no encadear da história façam sentido). 
Na verdade acho que é um excelente modo de passar umas horitas descontraidas. Além disso, para lá das aventuras e desventuras do pobre faquir, o livro também alude a um lado mais sério, quase subliminar, da imigração clandestina, das aventuras e destinos dos emigrantes que tentam chegar à Europa por todos os meios. Tudo muito ao de leve, sem aprofundar nada, mas o suficiente para apelar à nossa reflexão. 
Em suma, gostei do livro. Pelo entretenimento casual e descontraído, pelas gargalhadas com certas situações e jogos de palavras, bem como pela trama encadeada de situações irreais e impensáveis, mas que  fazem todo o sentido na trama. 
Recomendo sem hesitações! Uma boa leitura de praia!

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Estar ou não estar xfodido

-Oh mãe o Chase já um ta xfodido!
A sopa tava o Chase e o Chase tava xfodido mas o Kike papou a sopa e agora o Chase já num tá xfodido!

😍 Eu adoro ser mãe! E adoro esta idade mágica dos 2-3 anos...

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Cócó

 A minha filha de 14 meses não aprende palavras de jeito... mas sabe perfeitamente expressar a palavra "sapato" dizendo - cócó 
-Porquê?
Porque tem a mania de pôr chinelos e sapatos na boca e a minha mãe lhe diz: - Não! Isso é cócó!" ...
E pronto... não aprende outras coisas mas sabe vir ter comigo de crocs ou sandalias na mão, para eu lhas calçar
 - Mamã! Cócó! Cócócó" .....